A África concentra um dos maiores índices de casos de malária no mundo, segundo estudos que revelam que a doença transmitida através do mosquito é uma das mais fatais na região no continente, chegando a matar 650 mil pessoas por ano.

.
Para isto, o professor americano Frederick Ochanda acaba de criar uma das roupas mais revolucionárias e que promete minimizar boa parte das mortes.

.
Com moléculas orgânicas e metais, a roupa contém até três vezes mais inseticidas do que uma aplicação comum de repelente na pele humana.

.
Podendo durar até dois meses, a roupa que está em análise para ser comercializada em território africano, teve cuidado especial quanto ao design e projeção para que demonstrasse estilo.

.
O projeto que ainda não foi finalizado, poderá futuramente haver alterações, para que sejam reforçados os inseticidas, conforme o tempo e o clima, já que é à noite que os mosquitos tendem à atacar a pele humana com maior facilidade.

.
“Um objetivo da ciência em longo prazo é encontrar soluções para ajudar a vida e a saúde humanas, então esse projeto é muito gratificante para mim”, afirma o criador do projeto que tem esperanças de ajudar as pessoas no combate desta doença, com uma dose de ciência e moda.

.

Por: Jornalismo Nós Mulheres..