Harmonização do vinho

A harmonização do vinho com o prato é uma arte.

Você sabe como harmonizar o vinho com o prato que será servido?

Há regras específicas para harmonizar sabores de um prato e de um vinho. O fundamental é o equilíbrio entre ambos: o prato e o vinho devem se completar e não se sobrepor.

Pratos com sabores e molhos mais pronunciados pedem vinhos tintos alimentos mais leves combinam com vinho branco.

Analisando o vinho

Durante o processo fermentativo do vinho formam-se várias substâncias químicas naturais.

Suas proporções variadas são o que diferenciam um vinho do outro. Assim, o gosto do vinho é determinado por uma série de fatores, responsáveis pela composição:

tipo da uva;

estado de maturação da uva;

tipo de vinificação;

grau de amadurecimento e envelhecimento.

As diferenças dos vinhos

As uvas Chardonnay (mais macias), são bem diferentes dos vinhos elaborados com as uvas Sauvignon Blanc, que possuem acidez pronunciada.

Assim como os vinhos tintos, os vinhos de Bordeaux (Cabernet Sauvignon) são bem distintos dos Beaujolais (elaborados com a Gamay).

A harmonização entre vinho e comida

Escolhido o prato, analise seus ingredientes e a forma de preparo. Quando possível, combine pratos regionais com vinhos locais.

Uma refeição bem equilibrada começa com uma entrada e termina com o prato principal, obedecendo à ordem do mais leve ao mais pesado, assim também é com o vinho.

Vinhos brancos antes dos tintos;

Vinhos secos antes dos doces;

Vinhos jovens antes dos envelhecidos;

Vinhos simples antes dos complexos.

Harmonizações recomendáveis

Harmonizar patês de fígado – Vinho meio doce (Riesling), tinto leve e frutado (Beaujolais).

Harmonizar peixes defumados – Champagne blanc de blancs, Chardonnay levemente acarvalhado ou brancos secos Alsacianos.

Harmonizar peixes gordurosos (Bacalhau) – Branco encorpado ou tinto leve.

Harmonizar carnes brancas (ave, vitela, coelho) – Branco estruturado ou tinto leve.

Harmonizar carnes vermelhas – Tinto de médio corpo.

Harmonizar carnes escuras – Tinto encorpado.

Harmonizar queijo de cabra – Vinho branco ácido (Sauvignon Blanc).

Harmonizar queijo de massa dura – Tinto envelhecido (pouco tânicos).

Harmonizar queijo roquefort – Vinho do Porto, Sauternes, madeira, tinto maduro.

Harmonizar frutas frescas ou salada de frutas – Espumante demi-sec.

Como se diz há muito tempo, gosto não se discute, cada um pode e deve escolher o que mais lhe agrada.

Veja que harmonizar é mesmo uma arte que vamos aprendendo pouco a pouco. À medida que vamos tomando um ou outro vinho harmonizado com esta ou aquela comida vamos aprendendo a fazer a escolha de um vinho adequado tomando-o na temperatura correta.

Fonte: Uol