Fui traída, e agora?

A descoberta da traição é um dos momentos mais difíceis, que qualquer pessoa pode enfrentar. Não é fácil saber que a pessoa a quem amamos e creditamos a mais total confiança foi capaz de enganar e manipular nossos sentimentos.

A traição foi estudada através de inúmeras pesquisas, mas até hoje se chegou a resultado conclusivo, pois geralmente as pessoas nunca dizem a verdade nua e crua, justamente por se sentirem ultrajadas e desrespeitadas com a traição.

Ser traído não significa só o ato de ser trocado por outro, mas envolve também a sensação de desrespeito do parceiro com nossos sentimentos, a falta de lealdade, a perda da confiança, a decepção, a sensação de vazio e acima de tudo o provável fim de um relacionamento.

Existem alguns sintomas típicos que a maioria das pessoas que são traídas passa. Primeiro, vem o choque inicial, é a fase da incredulidade total, quando não entra na cabeça da pessoa traída, que aconteceu.

Parece apenas um pesadelo que vai passar, e que o parceiro não teve coragem de fazer isso com ela.

Em seguida, vem a raiva, ou seja, é quando quem foi traído se dá conta de que a situação realmente aconteceu, e ai começam os questionamentos, por que ele fez isso comigo? Eu não merecia isso… A pessoa traída fica se perguntando se ela não é boa o suficiente, o que a outra pessoa tem que ela não tem, enfim é a fase da decepção e angustia.

Num terceiro momento o desejo de vingança aflora, ou seja, fazer o mesmo, trair também seja com quem for, só para mostrar que também é capaz de fazer, mesmo que isso signifique desrespeitar-se a si mesmo, e quase sempre se sentir ainda pior do que antes, traído, agredido e inferiorizado.

Mas, um certo dia a raiva e o desejo de vingança passam e a dor pela decepção se torna mais latente e cada dia mais presente e o vazio toma conta, parece que nada tem brilho, não é?

Apesar disso, existe vida no relacionamento depois da traição, basta que a pessoa que foi traída entenda que não foi por culpa dela ou por que alguma coisa no relacionamento ficou a desejar, ou por que a outra pessoa é melhor do que ela, não é possível que o seu parceiro tenha se apaixonado por outra pessoa?

Aliás, as pessoas se apaixonam todo dia e mesmo quem está comprometido pode se apaixonar, não é possível também pintar uma atração irresistível, porém passageira?

Se quem foi traído pensar dessa maneira pode haver uma segunda chance para o relacionamento em questão é lógico que a dor e os sentimentos citados no principio desse artigo, serão sentidos, mas há como recomeçar uma relação depois de uma traição.

O primeiro passo é literalmente recomeçar, ter uma conversa franca com o parceiro, colocar tudo em pratos limpos e deixar a verdade vir à tona por mais que ela doa.

Depois é o momento de voltar a confiar, pois uma relação sem confiança já está fadada ao fracasso, não é nada fácil voltar a confiar em quem nos decepcionou, mas essa é a fase do esforço, da superação, de dar uma nova chance de quem errou a se redimir do seu erro, aliás, quem nunca errou que atire a primeira pedra!

Uma dica interessante é relembrar os momentos bons que a relação proporcionou até o momento da traição e que há mais coisas boas do que ruins neste relacionamento.

Mas é importante lembrar que a pessoa que foi traída tem que estabelecer objetivos realistas, como por exemplo, se perguntar: será que consigo viver essa nova realidade dentro do relacionamento? Vou perdoar essa traição sem relembrá-la todo dia ao meu parceiro? Sou capaz de confiar novamente no meu parceiro? Essas são perguntas que devem ser feitas a si mesmo e respondidas francamente.

O que deve ficar claro é que se você foi traído, reconciliando-se ou não com seu parceiro, essa situação com certeza despertará em você um novo eu, certamente você sairá desta situação fortalecida, mais experiente e ao mesmo tempo mais segura de si, como disse Nietzsche “O que não mata só me fortalece”.

Afinal a traição dói, machuca, mas é um dos muitos desafios que enfrentamentos ao nos abrirmos ao amor e os relacionamentos. E como diz o dito popular “O tempo é o melhor remédio para tudo”.

Por: Alexandre Alves.