O uso da internet como ferramenta de trabalho facilita a vida das pessoas, no entanto pode ser responsável por alimentar neuroses e prejudicar a saúde física e mental.

Apesar de muitos assuntos corporativos serem resolvidos rapidamente na frente do computador ou, até mais comum hoje em dia, pelo celular, esse hábito pode se tornar um problema. Estar conectado vira uma neurose e a pessoa não consegue se desligar do trabalho nem depois do expediente, nem aos finais de semana.

A psicóloga Su Kardosh explica que essa nova maneira de trabalhar resulta no desequilíbrio e pode refletir nas relações familiares. “A partir daí, o profissional se encontra, muitas vezes sem perceber, encarcerado em dois tipos de crise: pessoal-familiar e profissional de tanto envolvimento com o trabalho”.

Para Su Kardosh, a necessidade de estar o tempo inteiro conectado é fruto da insegurança, do medo de perder o emprego, “Esse tipo de profissional tem a sensação de que o ambiente de trabalho é hostil. As pessoas precisam saber que ele está todo o tempo presente na empresa. E os celulares com conexão móvel contribuem para que ele se sinta e faça os outros sentirem que ele não descansa nunca”. E isso se torna um ciclo vicioso.

Ela lembra também que nós somos responsáveis pelos nossos atos e que a culpa não é da internet ou dos tablets: “A internet é como qualquer outra ferramenta disponível para nós. Eu posso, por exemplo, usar uma faca tanto para facilitar o trabalho na cozinha como para algo cruel. Tudo depende de quanto se tem de saúde e equilíbrio para utilizar a internet de forma benéfica”.

Fonte: Soely Kardosh – Psicóloga, atua em diagnóstico e conflitos corporativos.

Por: Natália Marques