Deixar ou não seu filho viajar sozinho?

As férias escolares das crianças chegam, mas muitas vezes os pais não conseguem tirar alguns dias de folga do emprego, e aquela viagem tão esperadas com as crianças muitas vezes tem que ser adiada. 

Mas e quando a família do coleguinha de escola convida o seu filho ou filha para viajar junto com eles? Ou quando alguém da família pede para levar a criança para se divertir um pouco em uma viagem de família?

Deixar ou não seu filho viajar sozinho?

Esse momento sempre surgi e acaba gerando muitas dúvidas e muita ansiedade nos pais, que não sabem quando é certo deixar ou não, e ficam extremamente preocupados quando permitem.

Para ajudar nesse momento tão delicado para quem é papai e mamãe, separamos algumas coisas que você deve saber e analisar antes de permitir a viagem do seu filho e também como prepará-lo caso você deixe.

Deixar ou não seu filho viajar sozinho?

Primeiro comece libertando seu filho aos poucos, pois não adianta querer deixar ele ficar uma semana longe, sendo que nunca ficou nem um dia fora do aconchego dos pais.

Então, permita que ele durma um dia na casa da vó com algum primo, depois deixe-o dormir na casa do coleguinha por um final de semana, e então você poderá observar como a criança se comporta e ela também se acostuma a ficar longe dos pais por um tempinho.

Deixar ou não seu filho viajar sozinho?

Para que a criança se dê bem na primeira viagem sem os pais, é preciso que ela já tenha alguma autonomia, então desde já ensine seu filho a arrumar a própria cama e a cuidar das próprias coisas, desta forma ele se sairá muito bem sozinho.

Converse com os adultos que irão cuidar do seu filho, conheça as regras, o tempo de viagem e alguns costumes da família, não se esquecendo também de saber o endereço do local onde eles ficarão.

Deixar ou não seu filho viajar sozinho?

Informe também aos adultos se o seu filho tem algum problema de saúde, e explique quais remédios ele costuma tomar e os horários.

Deixe claro para a criança que ela deve respeitar as regras da outra casa, sem esquecer das regras que a mãe e o pai sempre lhe ensinaram.

Por fim, mantenha contato com a criança pelo menos no final de cada dia, para saber se ela está se adaptando bem.

Crédito: Portal Gazeta Online.