Como pagar suas dívidas

O problema das dívidas é um dos que geram maior dor de cabeça e falta de paciência, mas grande parte das famílias brasileiras têm alguma dívida a pagar.

Mas como conseguir organizar essas dívidas para poder quitá-las, como lidar com os juros ou mesmo por onde devemos começar?

Essas questões tiram o sono de muitas pessoas que estão dispostas a pagar as suas dívidas, mas não sabem se organizar ou não conseguem saber por onde começar.

Como pagar suas dívidas

Confira então algumas dicas importantes para conseguir se livrar das dívidas:

Renegociar é um primeiro passo se a dívida extrapolar demais o seu orçamento mensal, mesmo que essa renegociação precisar acontecer por via judicial.

Negocie a diminuição dos juros de sua dívida ou mesmo o aumento de números de parcelas que caibam no seu bolso, esse já é um grande passo para conseguir pagar as suas dívidas que mais extrapolam o orçamento.

Como pagar suas dívidas

Se a dívida for muito grande e a renegociação não conseguir diminuir os juros ou aumentar o número de parcelas de uma forma que caiba no seu bolso, uma saída é vender algum bem como carro, por exemplo.

Além de conseguir pagar sua dívida ou parte dela, devemos ter em mente que o carro é sempre um gasto, então é um ótimo bem para se vender e quitar alguma parte do que você está devendo.

Como pagar suas dívidas

Priorizar as dívidas mais nocivas também é importante na hora de escolher o que pagar, ou seja, opte por pagar aquelas dívidas que possam lhe retirar algum serviço ou algum bem se a falta de pagamento ocorrer.

Faça um mapeamento de todas as suas dívidas, conheça quais são elas, quais as taxas de juro e quais são aquelas que você deverá pagar primeiro.

Como pagar suas dívidas

Isso é muito importante pois muitas pessoas têm dívidas e não sabem quanto precisam para pagá-las, não sabem o quanto de juros é cobrado ao mês.

Como última dica é necessário que você amortize suas dívidas, ou seja, não pague apenas os juros, pois assim o valor dela continuará o mesmo e você pagará apenas os juros do mês.

 Créditos: Exame.com