A origem da feijoada

Sábado, vamos comer uma feijoada.

Hoje é sábado o dia da tradicional feijoada, mas você conhece a origem desse prato tão apreciado na gastronomia brasileira e por que não dizer internacional.

A origem da feijoada é motivo de controvérsias entre os especialistas do assunto. Muitos acreditam que a origem da feijoada seja uma herança dos escravos.

Naquela época, a alimentação dos escravos, por sua vez, era escassa e composta basicamente por cereais como o feijão ou o milho. Assim, o feijão misturado com farinha de mandioca ou fubá grosso de milho, antes de ser servido.

Os escravos não podiam ser simplesmente maltratados, pois custavam caro e eram a base da economia. Deviam comer três vezes ao dia, às 8 horas da manhã, à 1 hora da tarde e as 9 horas da noite.

Com o tempo os grandes senhores das fazendas, aproveitavam as partes nobres do porco e deixavam o resto para misturar na comida e servir aos trabalhadores.

Na senzala, eles aproveitavam as orelhas, focinho, pés, rabo e língua e juntavam-nas ao feijão para que o caldo ficasse mais grosso. Estava feita a feijoada.

Mas a maioria dos especialistas rejeita essa versão e diz que o prato, na verdade, foi trazido para o Brasil pelos portugueses. Portanto, o mais provável é que as origens da feijoada são de influências européias.

Alguns crêem que sua origem tem a ver com receitas portuguesas, das regiões da Estremadura do Alto Douro e Trás-dos-Montes, onde os feijões de vários tipos, exceto o preto, eram misturados a lingüiças, orelhas e pés de porco – conservados na própria banha do animal – e acrescidos de verduras como couve e repolho rasgados.

E ainda há aqueles que afirmam que a feijoada é um prato inspirado em outro prato europeu, como o cassoulet francês, que também leva feijão no seu preparo.

A Espanha tem o cozido madrileno. A Itália, tem a “casoeula” milanesa. Ambos são preparados com grão-de-bico. Aparentemente, tiveram a mesma evolução da feijoada, que foi incrementada com o passar do tempo, até se transformar na obra-prima da atualidade.

No fim das contas, o único fato com que todos concordam é que a adição do feijão-preto ao prato é uma invenção genuinamente brasileira – carioca, especificamente.

Hoje, à feijoada, constituida de feijão preto cozido sobretudo com partes do porco (orelhas, rabo, pés etc.) acrescenta-se como acompanhamento a couve refogada com alho, o arroz branco, a farofa de farinha de mandioca, molho de pimenta e laranja fatiada.

Além de servir porções de torresmo acompanhadas de uma boa caipirinha. A combinação perfeita! Esse incremento foi tão bem aceito que a feijoada logo virou símbolo da culinária nacional

Bom seja qual for a origem, uma coisa é certa, a feijoada é uma delicia, e já que é sábado, vamos comer uma feijoada?

Fonte: História de tudo.
Por: Jornalismo Nós Mulheres.